Por Redação / Eliandro Santana
Os finlandeses do SONATA ARCTICA vieram a Curitiba divulgar “Ninth Hour”, nono (!) disco de estúdio do grupo, o show aconteceu no Hermes Bar, ótimo local para eventos desse porte.
 

Ankhy


A abertura da noite ficou por conta de mais uma surpresa agradável deste celeiro do Metal Nacional chamado Curitiba: ANKHY, que subiu ao palco às 19:45 apresentando repertório variado e apostando numa mescla de metal tradicional, melódico, trash e até death metal melódico na linha Children of Bodom. Comprovando a variedade de estilo, o fechamento dos guris veio com o Cover “Carry On” do Angra, e o vocalista Matheus Motta mandou bem.
 

Pontualmente às 21 horas os branquelos vindos do norte Europeu iniciaram com a nova “Closer to an Animal” seguida de “Life”, também de “Ninth Hour”.
Tony Kakko e sua trupe tem, na humilde opinião deste que vos escreve uma característica que é deixar de lado grandes temas e manter músicas pouco empolgantes nos sets ao longo das turnês. E desta feita infelizmente não foi diferente, pois ótimas musicas interessantes ficaram de fora do set. Claro, opinião cada um tem a sua, mas alguns casos ficaram claros em mais esta passagem da banda por aqui.
 

A terceira da noite foi apresentada pelo tecladista Henrik Klingenberg: “Wolves die Young”, faixa de abertura de “Pariah´s Child”, de 2014. Esta foi seguida de “In Black and White”, do fraco “Unia”, de 2007.
Aí chegou o momento de dar aquele suspiro, pois veio a baladinha “Tallulah”, que (lá vamos nós) poderia ser facilmente substituída por “Misery”, por exemplo. Não que seja uma musica ruim, pelo contrário, mas ao vivo não vinga.
A próxima a ser executada foi a bacana “Fairytale”, uma das melhores do novo álbum. O interessante foi notar que grande parte da plateia, aliás, formada por jovens em sua grande maioria cantava as músicas do novo trabalho.
 

Coincidentemente (ou não), dois grandes momentos do show foram com temas “das antigas”, primeiro com “Fullmoon” do álbum de estreia do grupo: “Ecliptica”, e na sequência “Abandoned, Pleased, Brainwashed, Exploited”, do 3ª (e melhor) disco Winterheart’s Guild, de 2003, trabalho que, aliás, exemplifica perfeitamente o que citamos no início, pois contém ótimos temas que não são executados pela banda.
Depois, outro momento que pode se julgar desnecessário com a insossa “We are what we are”, outra novidade, mas que não justifica a presença no show.
Uma pausa e logo após finalmente o guitarrista Elias Viljanen se “apresentou”, afinal talento ele tem, mas ao vivo a proposta do Sonata (somada à limitação da equipe técnica da banda) digamos, não valorizou esse ponto, com o som da guitarra estando abafado em muitos momentos da apresentação.
Entra tour e sai tour do Sonata e “The Power of One”, está lá no set. Outra musica fraca, esta do segundo trabalho dos caras: o horrível “Silence”. E com esta a primeira parte do show estava concluída.
 

Após breve pausa, antes do bis Tony Kakko fez um discurso agradecendo a moçada presente, aí veio a maneiríssima “Misplaced” (me identifico com a parte que diz “i’m a misplaced mannn”), que foi seguida da engraçada “I Have Right, com seu refrão grudento e a letra no melhor estilo “Direitos Humanos”. O “tchau geral” veio com “Don’t Say a Word”, outra inexplicavelmente intocável dos sets do Sonata, e que fechou aquela noite que poderia ser, mas não foi.
Ah, claro teve sim o hino “Vodka”… Mas fica a pergunta no ar: cadê “The cage” deste final? Os finlandeses devem ter a resposta, porque no palco não foi dada.
Sonata Arctica – Set list

  1. Closer To An Animal
  2. Life
  3. Wolves Die Young
  4. In Black and White
  5. Tallulah
  6. Fairytale
  7. Fullmoon
  8. Among The Shooting Stars
  9. Abandoned, Pleased, Brainwashed, Exploited
  10. We Are What We Are
  11. The Power of One

Bis

  1. Misplaced
  2. I Have a Right
  3. Don´t Say a Word