RHAPSODY CURITIBA 12.05.2017 – 20TH ANNIVERSARY FAREWELL TOUR

Por Eliandro Santana 
 

Os italianos do RHAPSODY desembarcaram em Curitiba para a tour de comemoração dos 20 anos de carreira, mas que também foi anunciada como a despedida do grupo dos palcos.
A abertura da noite na Ópera de Arame ficou a cargo do grupo Curitibano DEVILSIN, que durante aproximadamente 45 minutos apresentou um heavy tradicional na linha Accept, com destaque para o vocalista Kevan Gillies, o “tiozão” com timbre vocal que em muitos momentos lembrou Cronos(Venom) esbanjou tranquilidade e teve o público “na mão” durante todo o ser.
 

Por volta de 21 horas, as luzes se apagaram para o início da noitada épica, e a intro “Epicus Furor” emendou a espetacular “Emerald Sword”, com seu refrão que estremeceu o gelado teatro.
 

Depois “Wisdom of the Kings” deu aquela sequência com outro refrão belíssimo, em seguida o início de “Eternal Glory” fez todos imaginarem o Rei chegando, mas o que veio era sim mais um grande som do disco de 1998.
 

Fábio Lione saudou em bom português a plateia e anunciou “Knightrider of Doom”, do álbum “Power of Dragonflame”, o que mandou por terra a expectativa inicial de que “Symphony…” seria executado na íntegra.
Mas foi na verdade uma breve fugida daquela suposta programação, pois as músicas a seguir foram “Wings of Destiny”(belíssima balada, que ao vivo ficou ainda melhor), “The Dark Tower of Abyss (que segundo Lione nesta tour estava sendo executada pela 1a vez ao vivo) e “Riding the Winds of Eternity”.
 

A próxima, sim “Symphony of Enchanted Lands” foi o momento que Fabio Lione “deitou”(gíria futebolística na veia), o cara simplesmente arrebentou. Impressionante a capacidade e a variação dos vocais deste cidadão.
Após os quase 10 minutos da grande (grande mesmo) música, chegou a vez do solo de Alex Holzwarth, deu aquele tradicional descanso aos demais, e o rapaz da bandana demoliu a batera impiedosamente.
 

O primeiro album da banda: “Legendary Tales”, infelizmente foi escanteado no set dessa tour, e “Land of Immortals” foi a única executada daquele que é, sem sombra de dúvidas, o grande álbum dos caras.
Tivemos ainda a mais fria da noite “The Wizard’s Last Rhymes”, que não empolgou.
 

Solos geralmente são desnecessários,mas o baixista Patrice Guers fez do seu momento, que foi acompanhado pelo batera, um trabalho muito legal.
Mas a noite era de Lione, e encerrando a primeira parte do show “Dawn of Victory” que foi uma das melhores da night, destaque para as acrobacias de Luca Turilli e a performance de Dominique Leurquin nas guitarras.
 

Após breve pausa, o retorno foi com a rápida “Rain of a Thousand Flames” que foi seguida pela lenta “Lamento Eroico”.
O fechamento aconteceu de maneira… grandiosa (ou seria épica?) com “Holy Thunderforce”, outra faixa de “Dawn of Victory”.
Se realmente foi a tour de adeus, os italianos se despediram dos fãs curitibanos com uma grande apresentação, que certamente vai deixar saudades aos muitos presentes. “…for the King, for the land, for the mountains…”
RHAPSODY – SET LIST

  1. Epicus Furor
  2. Emerald Sword
  3. Wisdom of the Kings
  4. Eternal Glory
  5. Beyond the Gates of Infinity
  6. Knightrider of Doom
  7. Wings of Destiny
  8. The Dark Tower of Abyss
  9. Riding the Winds of Eternity
  10. Symphony of Enchanted Lands
  11. Drum Solo
  12. Land of Immortals
  13. The Wizard’s Last Rhymes
  14. Bass Solo
  15. Dawn of Victory

Bis

  1. Rain of a Thousand Flames
  2. Lamento Eroico
  3. Holy Thunderforce