O cantor também suspeita da existência de apostas que sugerem quando ele vai morrer.

O ícone punk e único integrante vivo do Stooges, Iggy Pop está reflexivo sobre a velhice e o fim da vida. O artista contou a The New Yorker sobre sua rotina e imaginou como seria sua vida sem a música. Entre as reflexões, ele afirmou que deseja viver até os 80 anos só para irritar seus haters.

“Você começa a pensar, bom, okay, quais são minhas probabilidades? […] E como me sentiria se eu fosse morrer amanhã e olhasse para o que eu estava fazendo com a minha vida hoje? Minha única coisa é irritar aqueles que não gostam de mim, eu quero chegar até os 80.”
O músico também imaginou dois cenários para sua vida caso sua carreira na música acabasse.

“Eu sempre questiono sobre parar de fazer música: eu realmente começaria a beber chá ao invés de café, e, você sabe, escovar mais meus dentes e tudo isso? Ou eu me tornaria, tipo, um alcoólatra depressivo?… Eu acho que tem alguma aposta por aí sobre quando eu vou bater as botas”, disse Pop.
Apesar das dúvidas sobre a vida pessoal e a carreira, o cantor segue uma rotina disciplinada para os shows. “Eu me levanto, tomo uma xícara de café, fico na cama, abro minha mente, não penso sobre o show […] Eu não vou falar com ninguém sobre nada. Três horas antes, eu me deito no chão e faço algo chamado respiração wu chi, em que eu respiro profundamente por quase meia hora. Eu estou um pouco chapado, mas não tonto, e minha voz fica ampliada. Então eu o visualizo rapidamente por uma hora”.
Ele completa: “Então eu faço Qigong, que solta o corpo. Meu corpo fica rígido. Eu sou um pouco desagradável. Então eu tomo um banho quente e mudo para o gelado. Depois eles me buscam, me levam onde eu vou, e eu sento ali por algumas horas. Então percebo onde estou e o que tenho que fazer”.
Com 72 anos de idade e 52 de carreira, Iggy Pop dá detalhes sobre o décimo oitavo álbum que está prestes, Free, que será lançado no dia 8 de setembro.
“Vai ser bom para um caralho […] É para isso que você sacrifica várias coisas, cara, e isso é o que você faz quando você não está sempre ali para as pessoas, então é melhor ser bom”, disse o cantor.
Fonte : Revista Rolling Stone Brasil

Ouça e curta a 91 ROCK