A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou pandemia de coronavírus (Covid-19) nesta quarta (11). Segundo a organização, a expectativa é que casos, vítimas fatais e atingidos aumentem.

Apesar da nova classificação, as recomendações para a prevenção da doença seguem as mesmas. “A descrição da situação como uma pandemia não altera a avaliação da OMS da ameaça representada por esse vírus. Isso não muda o que a OMS está fazendo, nem o que os países devem fazer “, declarou Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, em entrevista coletiva transmitida diretamente de Genebra. 

Com o título de doença pandêmica, o coronavírus acende um alerta importante, já que fica enquadrado como um vírus novo capaz de infectar seres humanos com facilidade e de ser transmitido de uma pessoa a outra de forma eficiente e continuada. Até o momento, o novo coronavírus tem essas características e, como não há vacina contra o agente patogênico ou tratamento que possa prevenir a doença, conter a sua disseminação se torna tarefa indispensável.

Coronavirus

Segundo a organização, o número de casos, mortes e países afetados deve crescer nos próximos dias. Nas últimas duas semanas, por exemplo, a quantidade de casos fora da China aumentou 13 vezes – e o número de países afetados triplicou. No mundo, são 118 mil casos confirmados.

Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, durante entrevista coletiva em Genebra -
Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, durante entrevista coletiva em Genebra

“Pandemia não é uma palavra para ser usada de maneira leviana ou descuidada. É uma palavra que, se mal utilizada, pode causar medo irracional ou aceitação injustificada de que a luta acabou, levando a sofrimento e morte desnecessários”, acrescenta Ghebreyesus.

Fonte: www.terra.com.br e www.who.int