David Bowie

Em 1962, David Bowie, então com 15 anos de idade, entrou em uma briga com seu colega de escola, George Underwood. O motivo da briga foi uma garota, e Bowie acabou levando a pior. Um soco desferido por George, que usava um grande anel, atingiu em cheio seu olho esquerdo. O temor dos médicos não se confirmou, e David não teve sua visão afetada, mas isso não o livrou de passar o resto da vida com dilatação permanente da pupila. Na época, David nem podia imaginar, mas anos depois o resultado dessa briga ajudaria a formar a persona que o consagrou como um dos maiores nomes da história da música pop.

Lançado em 1969, “Space Oddity”, segundo álbum de David Bowie apresentava o músico em clara levada folk, apoiado apenas por violão e voz. Carro-chefe do álbum, “Space Oddity” alcançou o timing perfeito numa época em que as incursões humanas no espaço estavam em grande evidência e se tornou um hit instantâneo. A música abriu as portas para o sucesso de Bowie, sendo utilizada como trilha sonora da chegada do homem à lua pela rede de televisão BBC.

Se David Bowie tinha alcançado grande audiência com uma faixa de seu segundo álbum, em seu terceiro lançamento ele tentava provar que viera pra ficar. E com “The Man Who Sold The World”, conseguiu. Com grande ajuda do guitarrista Mick Ronson, Bowie criou um álbum consistente e inovador, apontado por alguns críticos como o nascimento do glam rock. A capa, com Bowie usando um vestido, ajudou a criar a figura sexual que permearia a fase mais aclamada de sua carreira. Sucesso de público e crítica, o álbum é ainda apontado como grande influência para o que mais tarde viria a ser o estilo gótico.

Inspirado pelo romance 1984, de George Orwell, David Bowie criou mais um de seus álbuns conceituais, o “Diamond Dogs” que, apesar de ainda ter um pé, ou melhor, uma bota no glam rock, flertava com o som dos Rolling Stones, uma das grandes inspirações do músico. Entre as faixas do álbum estava “Rebel, Rebel”, rock enérgico e grudento que se tornaria uma das mais famosas canções. A crítica aclamou o álbum como um dos melhores de Bowie, e “Diamond Dogs” atingiu a primeira posição das paradas britânicas.

Se Bowie havia aprendido muito com Lennon, agora era a vez de Lennon aprender com Bowie. Foi de “Heroes” a inspiração para que o ex-beatle fizesse seu álbum “Double Fantasy”, declarando que sua ambição era fazer algo tão bom quanto o disco de Bowie. Segundo álbum da chamada “trilogia de Berlin”, “Heroes” registrava mais uma vez a parceria de Bowie com o guru dos sintetizadores e ex-membro do Roxy Music, Brian Eno. O disco se tornou um dos grandes sucessos de sua carreira, com destaque para a faixa título, que se tornou a segunda música de Bowie com mais versões cover, atrás apenas de “Rebel, Rebel”.

Apesar de que até 1971 David Bowie já tivesse lançado quatro discos bem-sucedidos, foi com o personagem “Ziggy Stardust” que o cantor atingiu popularidade na cultura jovem e desafiou as barreiras da sexualidade ao fabricar para si uma imagem cheia de androginia, que veio a se tornar símbolo da geração glam rock. “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars” traz a história de um alienígena, encarnado pelo cantor inglês, que vem à Terra com o intuito de passar uma mensagem de esperança nos últimos cinco anos de existência do planeta, que iria acabar devido à falta de recursos naturais.

Do aspirante a músico folk de “Space Oddity”, passando pelo polêmico e sexual Ziggy Stardust e pelo soul-man de Young Americans até o inovador parceiro de Brian Eno na trilogia de Berlin, David Bowie se consagrou como um artista de múltiplas faces, atingindo sucessos astronômicos e colecionando lendas de mesma magnitude.

Discografia:

David Bowie (1967)
Space Oddity (1969)
The Man Who Sold the World (1970)
Hunky Dory (1971)
The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars (1972)
Aladdin Sane (1973)
Pin Ups (1973)
Diamond Dogs (1974)
Young Americans (1975)
Station to Station (1976)
Low (1977)
Heroes (1977)
Lodger (1979)
Scary Monsters (and Super Creeps) (1980)
Let´s Dance (1983)
Tonight (1984)
Never Let Me Down (1987)
Black Tie White Noise (1993)
The Buddha of Suburbia (1993)
Outside (1995)
Earthling (1997)
Hours… (1999)
Heathen (2002)
Reality (2003)