The Police

O The Police foi formado no começo de 1977 pelo baixista e vocalista Sting e o baterista Stewart Copeland, em Londres, na Inglaterra. O guitarrista Andy Summers entrou no grupo poucos meses depois, e com ele, a banda lançou seu primeiro single, “Fall Out”, que vendeu 70 mil cópias. O primeiro disco do The Police, impulsionado pelo sucesso de hits com Roxanne e Cant Stand Losing You, teve boa repercussão na Europa e Estados Unidos. Com o próximo álbum, o trio passou por diversos países fora da rota de shows internacionais, como Egito e Índia.

O último trabalho de Sting, é o álbum The Last Ship, lançado em 2013. O trabalho do ex-integrante do The Police conta com o vocalista Brian Jhonson, do AC/DC como convidado especial, e é uma coleção de músicas que serão usadas em um musical da Broadway. Andy Summers também segue em carreira solo, e ano passado trabalhou com a cantora do Pato Fu, Fernanda Takai. O baterista Stewart Copeland é o único que não está trabalhando com música atualmente.

O The Police teve uma curta carreira, encerrada em 1986. Em 2003, o grupo se reuniu para se apresentar na cerimônia do Rock and Roll Hall Of Fame, mas uma nova turnê mundial veio apenas 4 anos depois. O The Police excursionou por quase todos os continentes, e veio ao Brasil em dezembro, onde se apresentaram para mais de 70 mil pessoas no Maracanã, no Rio de Janeiro.

O The Police entrou na década de 80 em alta, e manteve seu nome em evidência com mais dois discos aclamados: Zenyatta Mondatta e Ghost In The Machine. Na turnê deste trabalho, o The Police veio pela primeira vez ao Brasil, quando tocaram no Rio de Janeiro. Após lançar discos por 4 anos consecutivos, a banda deu uma pausa, quando seus músicos foram trabalhar em outros projetos. Mas logo a banda estava de volta, e em 83 chegou as lojas Synchronicity, cuja turnê foi a última realizada pelo The Police em 25 anos.

Após o fim da turnê de Synchronicity, o The Police esperou algum tempo até se reunir. Em 86, eles tocaram em show beneficente à Anistia Internacional, e entraram em estúdio para registrar novas composições. O tempo de estúdio rendeu apenas uma versão de “Dont Stand So Close to Me”, e no final do ano, saiu uma coletânea do grupo, Every Breath You Take: The Singles, que atingiu a posição mais alta nas paradas britânicas.